A Importância do Business Intelligence para as organizações

É ainda legítimo uma Organização, questionar: “porque é que necessito de ter sistemas de Business Intelligence?”

As grandes organizações há muito que perceberam a importância dos Sistemas de Suporte à Decisão, vulgarmente designados por Business Intelligence (BI). Atualmente, e com a ajuda do advento do Big Data, o BI ganha um novo fôlego no panorama Organizacional.

No entanto, é ainda legítimo uma Organização, questionar: “porque é que necessito de ter sistemas de Business Intelligence?”

Existe um conjunto de cenários, potencialmente reveladores, para os quais a organização necessita de soluções de BI, tais como:
– Temos dados, mas não temos informação
– É necessário integrar dados de diversas fontes internas e externas à Organização
– Nem todos os departamentos conseguem monitorizar, interna e externamente, as suas próprias operações
Não sei como potenciar e fortalecer a relação com o cliente
– Será que os dados que estou a consumir são fiáveis e que a informação gerada é a mesma para todos
– Necessidade de analisar o negócio em tempo real
– Necessito que os utilizadores não dependam do departamento IT para construírem os seus relatórios
– Necessito de ter uma única fonte de verdade dos dados e da informação em vez de n versões de 1001 ficheiros de Excel.

Sendo clara a perceção de valor pela adoção de soluções de suporte à decisão pelas Organizações, devem estas deixar de se questionar sobre o “porquê”, para passarem a focar-se no “como”. O “como”, invariavelmente, passará pelo envolvimento dos parceiros tecnológicos que podem potenciar ou mesmo fazer acontecer, devendo as organizações focar-se nos elementos essenciais: dados, modelos analíticos, ferramentas e um adequado parceiro TI.

Independentemente da dimensão e setor de atuação, todas as Organizações poderão beneficiar de uma correta adoção de soluções de BI.

Face a esta consciencialização, é expectável que a adoção deste tipo de soluções venha a aumentar ainda mais. Recentemente a IDC, em dois dos seus estudos: “IDC FutureScape 2016″ e”IDC CloudView Survey 2016”, reforçou a importância da adoção de cloud e de data analytics por parte das Organizações. Uma real adoção do conceito “Cloud First”.

O aumento da adoção de cloud por parte das Organizações e a democratização da utilização de soluções analíticas levantarão questões ao nível da integração, do armazenamento, da fiabilidade dos dados e até de formação das pessoas.

Os dados, seja pelo seu volume, localização, estrutura ou formato, levam a que a integração se revele vital permitindo às Organizações terem um único repositório de verdade, independentemente da fonte original, ou local de armazenamento. Esta mudança de paradigma, leva a que quem gere as TI opte por arquiteturas diferentes das tradicionais, criando repositórios de dados totalmente residentes em soluções de Cloud, ou híbridos, ganhando agilidade, escalabilidade, tolerância à falha e ainda otimizar o seu TCO.

O parceiro tecnológico revela-se importante, cabendo a estes e à indústria de TI, ajudar as Organizações a acompanharem estes ciclos de transformação, capacitando-as, seja através de produtos, consultoria ou formação, materializando a afirmação “data is the life blood of digital economy”.

Paulo Gonçalves
Consultor Business Intelligence, Rumos