DevOps – A mudança necessária na estrutura tradicional de TI

Eduardo Amaral

 

Opinião de Eduardo Amaral, Formador da Rumos para a área de DevOps, in Dinheiro Vivo, 3 março 2021

 

Atualmente e provavelmente, mais do que em qualquer outro momento, nunca foi tão necessário acelerar a velocidade da transformação digital das organizações. Diria que até ao ano que passou, este era cada vez mais um tema, mas com a pandemia, efetivamente acabou por tornar-se determinante para a generalidade dos negócios.

Enfrentamos, portanto, um ponto crítico na capacitação e apoio às organizações no sentido de proporcionar e oferecer ao tecido empresarial todas as condições para acelerar a velocidade da transformação digital dos seus negócios.

É neste campo que não podemos, de forma alguma descurar, como parte integrante deste debate, o DevOps, uma vez que consiste na união de pessoas, processos e tecnologia de forma a entregar continuamente valor aos clientes. Diria que é a simbiose perfeita entre o desenvolvimento (Dev) e as operações (Ops).

Desta forma e enquanto ferramenta para a promoção de uma transformação digital e comportamental, o DevOps desempenha neste domínio um papel fundamental ao permitir integrar equipas, agilizar e, ao mesmo tempo, automatizar processos tecnológicos. Uma empresa que adote o DevOps está naturalmente a promover a cooperação entre elementos de uma equipa e a melhorar o fluxo de trabalho, assegurando ao mesmo tempo padrões de segurança e qualidade. No final de todo o processo o objetivo é acrescentar valor ao projeto que é entregue ao cliente.

Segundo o estudo “The Accelerate State of DevOps Report” realizado a nível global, empresas que adotam DevOps duplicam as probabilidades de atender ou até mesmo exceder as suas metas de desempenho organizacional. O DevOps pode significar assim, um aumento de produtividade ao nível das tecnologias de Informação das empresas, começando a ser cada vez mais uma realidade não só em grandes organizações, mas também em pequenas e médias empresas e até mesmo em startups. De acordo com outro estudo, o “2020 Upskilling Enterprise DevOps Skills Report”, desenvolvido pelo DevOps Institute, apesar da jornada no DevOps continuar a representar um desafio para mais de 50% das empresas, a adoção desta cultura entre as organizações aumentou em 24%. O mesmo estudo indica ainda que 52% das empresas estão a recrutar, ou a planear recrutar profissionais de DevOps.

Contudo, um dos grandes handicaps deste processo prende-se exatamente com este último ponto, isto é, com a acentuada lacuna de skills nas equipas, provocando uma consequente desaceleração na implementação deste processo nas empresas. Encontrar e atrair pessoas qualificadas para o DevOps continua assim, a ser um desafio. No mesmo estudo, desenvolvido pelo DevOps Institute, 58% dos inquiridos afirmaram que encontrar indivíduos qualificados é um grande desafio, enquanto 48% disseram que a retenção de indivíduos qualificados para o DevOps é de igual forma desafiante.

Analisando estes fatores conseguimos concluir que este é um comportamento típico de qualquer inovação tecnológica ocorrida em TI na última metade século em que os primeiros utilizadores começam a desenvolver o talento necessário quando a adoção generalizada de determinada tecnologia começa a acontecer. A única possibilidade nestes casos é encontrar a pessoa certa e disponibilizar ofertas que atrairão o talento necessário.

Sem sombra de dúvida, o DevOps é uma mudança fundamental na estrutura tradicional de TI. Representa não só a adoção de novas tecnologias, mas também, e mais importante, um desafio de transformação organizacional com tudo o que isso implica em termos de “evangelização” da responsabilidade existente. É pois, um caminho a percorrer, mas essencial para conseguirmos aportar valor aos projetos no âmbito de tecnologia de informação.