Excelência Operacional e Investimento em Soluções Analíticas

A busca pela excelência operacional tem levado as Organizações a efetuarem investimentos em Tecnologias de Informação (TI) que visem a implementação de soluções analíticas de apoio ao negócio, permitindo obter vantagens competitivas nos seus setores de atuação, aportando uma efetiva transformação digital.

As soluções de sistemas de Apoio à Decisão, vulgarmente designados de Business intelligence (BI), para agregarem valor e terem sucesso no processo decisório das Organizações, necessitam de um alinhamento efetivo com a Organização e com o seu negócio.

Se o alinhamento for implementado pela transformação do negócio pelas TI, temos a estratégia de negócio a ser formulada lado a lado com a estratégia de TI, sendo o critério de performance o alcance e manutenção da liderança nos mercados de atuação e do seu contexto externo (concorrentes, clientes e fornecedores).

Vantagens competitivas para as organizações

Quando devidamente implementadas, as soluções de BI, transversais à Organização, apresentam diversas vantagens, nomeadamente a capacidade de tomar decisões suportadas em factos; a integração de dados e sua transformação em informação; a democratização da informação; e o consumo de dados em tempo real.

Exemplos de aplicabilidade

Existem inúmeros exemplos de implementações bem-sucedidas, pelo que o investimento em projetos de BI deve ser encarado como um investimento pela mudança.

Abordarei aqui, de forma breve, dois desses exemplos, um da Organização na qual trabalho e que visou a melhoria operacional, e um outro totalmente disruptivo que mudou a forma como uma organização passou a fazer negócio.

No caso da Rumos, ainda recentemente foi publicada informação relativa a um projeto, onde em parceria com a Fertagus, foi implementado um sistema de apoio à decisão que culminou num conjunto de dashboards de Gestão Operacional, onde através da integração de diversas fontes de dados e disseminação da informação pela Organização, se estimou conseguir melhorar a excelência operacional, pela redução dos consumos energéticos.

No segundo caso, tratou-se de uma transformação de um negócio tradicional, por parte de um conhecido fabricante de equipamentos agrícolas, que em 2013 decidiu colocar sensores nos equipamentos que vendia e começar a processar e integrar os dados recolhidos. Uma vez recolhidos, decidiu partilhar as informações geradas com os seus clientes. A partilha da informação permitiu que os Clientes pudessem melhorar diversos processos agrícolas, prolongar o ciclo de vida dos equipamentos e efetuar previsões operacionais e estratégicas sustentadas. Esta alteração tornou-se numa vantagem competitiva e uma efetiva transformação digital, tendo levado a que os seus concorrentes decidissem disponibilizar o mesmo tipo de produtos, expandindo os limites da indústria.

Em conclusão

A fruição dos sistemas de BI pela Organização, para além de proporcionarem uma visão holística através das diversas ferramentas de visualização, tem muito a ver com o que foi anteriormente referido, ou seja, a integração de dados, definição das informações que são realmente relevantes, definição de uma única e inequívoca fonte de verdade, a escolha do parceiro de implementação e de uma solução que devidamente disponibilizada à Organização, potencie a performance do negócio.

O retorno efetivo do investimento irá variar de organização para organização, seja por questões culturais, de setor de atividade ou concorrenciais.

Paulo Gonçalves
Service Delivery Manager, Rumos